Music


Don Omar Feat. Lucenzo - Danza Kuduro (gugo) Mp3
Musicaddict.com

quarta-feira, setembro 30, 2009

Colossus Minerals Continua a Investidores Wow, Mercado

Os investidores em Colossus Minerals Inc. (TSX: CSI) foram agradavelmente surpreendido pela liberação de imprensa da companhia anunciou hoje que os resultados do ensaio de perfuração central de 70,7 metros que graduadas 53,6 gramas por tonelada de ouro e platina 20,77 gramas por tonelada. The core comes from the company's Serra Pelada deposit in Para State, Brazil, which it holds in a 60/40 joint venture with COOMIGASP, the organization that oversees the interests of the local 'garimpeiro' or artisan miner, community. O núcleo vem do depósito da empresa Serra Pelada no Pará, Brasil, que detém em uma joint venture 60/40 com a Coomigasp, a organização que supervisiona os interesses dos garimpeiros locais 'ou artesão mineiro, a comunidade.

According to Vic Wall, Colossus VP of exploration, “The results of Colossus' Phase II step-out drilling have added materially to the definition of the main Serra Pelada gold-platinum-palladium ore-body. Segundo Vic Wall, Colossus VP de exploração, "Os resultados da Fase Colossus" passo II-a perfuração de ter adicionado materialmente para a definição dos principais ouro Serra Pelada-platina-paládio minério de-corpo. Between-section drilling has clarified the distribution of ultra high grade gold-PGE subzones, demonstrating down dip and lateral continuity in envelopes that we have increasing confidence will be among the first to be mined in the new Serra Pelada. Entre perfuração seção esclareceu a distribuição de ultra alto grau ouro subzones-PGE, demonstrando baixo mergulho e continuidade lateral em envelopes que nós temos a confiança crescente estarão entre as primeiras a ser extraído na nova Serra Pelada. In other areas, up to 400 metres south of the historical open pit, Colossus drilling has outlined substantial mineralization, including high grade gold and gold-PGE subzones. Em outras áreas, até 400 metros ao sul do poço histórico aberto, perfuração Colossus delineou mineralização substanciais, incluindo o ouro de alta qualidade e ouro subzones PGE. The intersections of gold-PGE mineralization north of our As intersecções de ouro norte-PGE mineralização da nossa


Phase I drilling, in areas where historical drilling had missed mineralization are also encouraging. Perfuração de Fase I, em áreas onde a perfuração histórico tinha faltado mineralização também são animadores. We are following up with further drilling in this and more southerly parts of the Central Mineralized Zone as well as additional between-section holes.” Estamos acompanhando com a perfuração de mais isto e mais partes do sul da mineralizadas Zona Central, bem como entre os diversos orifícios de secção ".

Brazilian-based mining giant CVRD, (NYSE:RIO) who held the rights to the mineral concessions underlying Serra Pelada until 2007, conducted a drill program across 200 holes, with the best intercept an astonishing 4,709 grams per tonne gold, 204 grams per tonne platinum, and 1,117 grams per tonne palladium over 43 meters. Brasileira baseado gigante da mineração Vale, (NYSE: RIO), que detinha os direitos das concessões de base mineral de Serra Pelada até 2007, conduziu um programa de perfuração através de 200 furos, com a melhor interceptar um surpreendente 4.709 gramas por tonelada de ouro, 204 gramas por tonelada platina e paládio 1.117 gramas por tonelada, mais de 43 metros.

That's ore with a total value in excess of $162,000 per tonne, and constitutes one of the highest grade gold intercepts in history. Que o minério com um valor total superior a 162.000 dólares por tonelada, e constitui uma das mais alto grau intercepta o ouro na história.

Another hole yielded a 15 meter intersection of 7,800 grams per tonne gold, 460 grams per tonne platinum, and 2,700 grams per tonne palladium, comprising ore with a value of just under $300,000 per tonne. Outro buraco resultou num cruzamento 15 metros de 7.800 gramas por tonelada de ouro, 460 gramas por tonelada, platina e paládio 2.700 gramas por tonelada, incluindo minério com um valor de pouco menos de 300.000 dólares por tonelada. This puts Serra Pelada firmly in the running as potentially one of the most richest mineral deposits in the world, if not the richest. Isso coloca Serra Pelada firmemente na execução como potencialmente um dos mais ricos depósitos de minerais no mundo, se não o mais rico.

CVRD's exploration confirms gold, platinum and palladium mineralization continuing under the pit for more than 450 meters, and to depths of 150 to 300 meters. Exploração da CVRD confirma ouro, platina e paládio mineralização prosseguem no âmbito do poço por mais de 450 metros, e em profundidades de 150 a 300 metros.

In February of 2007, the organization representing the garimpeiros who originally mined the deposit, COOMIGASP, was awarded the Exploration License, effectively gaining control of the Serra Pelada pit and all of the underlying mineralization on a 100 hectare package. Em fevereiro de 2007, a organização que representa os garimpeiros que originalmente extraído o depósito, a Coomigasp, recebeu a Licença de Exploração, efetivamente ganhar o controle do poço Serra Pelada e de todos os mineralização subjacente a um pacote de 100 hectares. COOMIGASP and Colossus have formed a joint venture to explore the concession, with Colossus able to earn up to a 65% interest in the project. Coomigasp e Colossus formaram uma joint venture para explorar a concessão, com Colossus capaz de ganhar até uma participação de 65% no projeto.

Learn more about Colossus at http://www.colossusminerals.com . Saiba mais sobre a Colossus http://www.colossusminerals

terça-feira, setembro 29, 2009

colossus tem excelentes resultados em furos em serra pelada

| HOME |



Colossus tem excelentes resultados em furos em Serra Pelada
A canadense Colossus Minerals anuncou nesta semana alguns resultados de seu programa de perfurações em uma área de 100 hectares em Serra Pelada, onde se associou à cooperativa de garimpeiros local. Seus últimos furos retornaram altos teores de platina (mais de 400 g/t) e paládio (mais de 700 g/t), com bons índices de ouro e brechas ricas em óxido de ferro. Mas a companhia está analisando os resultados com cautela, já que os resultados oscilam fortemente entre as amostras. Outros quatro furos estão sendo conduzidos atualmente, buscando delinear a zona central da mineralização.

Vic Wall, presidente da Colossus, declarou que "o reconhecimento da zona de mineralização a oeste em Serra Pelada e os primeiros resultados da segunda fase de perfurações são muito encorajadores", e que eles "já indicam um comprimento da zona oeste de pelo menos 50 metros, e que ela está aberta a nordeste, a sudoeste e lateralmente". Segundo o executivo, o maior desafio é esclarecer a extensão e a distribuição dos metais do grupo da platina PGE em alta concentração na zona oeste, e não descarta mais perfurações na área e na mineralização de arenito mais abaixo.

segunda-feira, setembro 21, 2009

TONI DUARTE ENTREGA MANIFESTO GARIMPEIRO A MICHEL TEMER

TONI DUARTE ENTREGA MANIFESTO GARIMPEIRO A MICHEL TEMER

O presidente da Agasp Brasil, Toni Duarte, entregou hoje pela manhã ao presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), o “Manifesto Garimpeiro” lido da tribuna da Câmara dos Deputados na ultima sexta-feira durante a sessão solene alusiva ao Dia Nacional do Garimpeiro. O importante documento aponta as reais necessidade de o Congresso aprovar a pensão vitalícia aos garimpeiros remanescente de Serra Pelada e a aposentadoria especial aos mais de 1 milhão e 500 mil garimpeiros de todo o País. Veja a integra do “Manifesto Garimpeiro” feito pela Agasp Brasil:

ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS GARIMPEIROS DE SERRA PELADA E DO BRASIL AGASP BRASIL

Manifesto Garimpeiro




Ao Presidente da Câmara

Deputado Michel Temer (PMDB-SP)

Senhor Deputado, desde o Brasil Colônia , passando pelo Brasil Império e agora no Brasil Republicano jamais a categoria de garimpeiros do Brasil teve aos longo dos 509 anos de existência o reconhecimento que merece. Nem pelo Governo e muito menos pelo Congresso Nacional. E temos motivos de sobras para afirmar isso.

No ano passado quando a Câmara e o Senado debatiam o Estatuto do Garimpeiro em suas Comissões Temáticas, as inúmeras entidades representativas da categoria, entre elas, a nossa Associação Nacional dos Garimpeiros de Serra Pelada e do Brasil, tentaram de todas as formas, sem sucesso, incluir ao texto artigos que versassem sobre a forma de aposentadoria. As nossas suplicas não foram ouvidas. Não deram bolas para um dos direitos mais elementares de uma classe trabalhadora que é a aposentadoria. Por isso Senhor Presidente, apesar de sermos uma categoria hoje reconhecida por Lei, porem não temos ainda o que comemorar.

Neste momento travamos uma grande batalha dentro da Câmara dos Deputados para que seja aprovado o Projeto de Lei n.º 5227 de 2009 que acrescenta capítulos à Lei 11.685 de 02 de junho de 2008 que instituiu o Estatuto do Garimpeiro. O PL de autoria do deputado Cleber Verde regulamenta a pensão vitalícia aos garimpeiros remanescente de Serra Pelada e estabelece a aposentadoria especial para mais de 1 milhão e 500 mil garimpeiros de todo o país. Esse projeto, Senhor Presidente, foi aprovado por unanimidade na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara e segue agora para a Comissão de Finanças e Tributação.

No caso da pensão vitalícia, lamentavelmente, ainda encontramos barreiras aqui e acolá por parte de alguns parlamentares, que estão longe de formar uma convicção positiva no que diz respeito a instituição desse direito de até três salários mínimos aos garimpeiros que trabalharam pelo menos durante seis anos em Serra Pelada, conforme o PL em tramitação.

Devemos lembrar que esta Casa em 1989 ajudou aprovar a pensão vitalícia aos seringueiros que foram recrutados para a extração da borracha na Amazônia, contribuindo para o esforço de guerra a que se submetia o País. Os chamados soldados da borracha hoje estão recebem pensão mensal vitalícia de dois salários mínimos, conforme garante o artigo 54 das Disposições Transitórias da Constituição. Em 2007 a Câmara aprovou Medida Provisória assegurando às pessoas que foram vítimas da hanseníase e que tiveram confinadas nas colônias de isolamento o direito de receber em torno de dois salários mínimos por toda vida.

Colocamos esses dois fatos para afirmar, com toda a convicção, que tal qual os seringueiros e os hansenianos, os garimpeiros de Serra Pelada viveram a mesma situação e vitimas de uma tragédia social provocada pelo Estado brasileiro. Basta recorrer as tristes imagens dos mais de 100 mil homens mantidos pelo Estado brasileiro de maneira compulsória em trabalho escravo por quase duas décadas no garimpo de Serra Pelada.

Depois da campanha do Regime Militar contra a guerrilha do PC do B no Sul do Pará, o achado de uma pequena pepita em Serra Pelada serviu de chamariz utilizado pelo Governo para recrutar os trabalhadores atraídos por uma falsa promessa de que chegariam em Serra Pelada pobres e sairiam dela ricos. A corrida do ouro e a formação do garimpo em uma área que já pertencia a então estatal Vale do Rio Doce foi alimentada pelo próprio governo federal. O governo permitiu que milhares de cidadãos oriundo de várias parte do país abrissem o garimpo em um tempo que exploração do ouro era assunto de Segurança Nacional e numa área já requerida e sondada pela Vale do Rio Doce.

Por trás da benevolência do Regime Militar tinha dois objetivos: o primeiro era o de povoar a região Sul do Pará para se livrar de vez do perigo da guerrilha que estava de olho nas minas de ouro e de diamantes existes nas confluências da Serra das Andorinhas, esquadrilhadas antes pelos guerrilheiros abatidos durante uma campanha do Exercito no Araguaia em 1974. O outro era com a exploração do garimpo resolveria de forma urgente com o ouro de Serra Pelada a grave crise de reservas cambiais que atravessava o País.

Senhor Presidente, montou-se uma verdadeira operação militar para assegurar a aquisição do ouro controlando o garimpo e os trabalhadores sob alegação que a situação era considerada como necessária, conjuntural e transitória.

Diversos órgãos participam da operação de confinamento de milhares de cidadãos obrigados ao trabalho forçado e promiscuo a saude. A Presidência da República ficou com a coordenação geral dos trabalhos. O DNPM ficou encarregado da orientação técnica e das frentes de garimpagem. A empresa DOCEGEL controlada pela Vale do Rio Doce, ficou encarregada da administração do garimpo, a compra do ouro. A Secretaria da Receita Federal encarregou-se da matrícula dos garimpeiros, do controle da arrecadação de tributos e da comercialização. Enquanto a Caixa Econômica Federal era encarregada dos pagamentos dos cheques emitidos pela DOCEGEL na compra do ouro.

Senhor Presidente , em quase duas décadas de trabalho escravo sem qualquer remuneração ou outras garantias por parte do Estado brasileiro, ostensivamente presente em Serra Pelada, centenas dos nossos irmãos garimpeiros sucumbiram nas frentes de trabalho.Vitimas dos soterramentos de barrancos, vitimas por infecções contraídas pelo uso descontrolado do mercúrio, por malaria e por outras enfermidades obtidas no garimpo. Aos familiares cabia apenas enterrar seus mortos isso quando recebiam seus corpos.

Durante quase duas décadas de trabalho forçado e vigiado pela forças federais como num grande campo de concentração, cujas imagens ainda são memória viva desde país, os garimpeiros arrancaram com as suas mãos e carregaram nos ombros quase 40 toneladas de ouro, prata e paládio. Mas quem lucrou com toda essa riqueza foi o próprio governo federal que comprava o minério no peso roubado além de alguns poucos bamburrados . A maioria absoluta, falamos dos mais de 100 mil pessoas, não conseguiram absolutamente nada. Em 1992 quando o Governo já não precisava mais da força de trabalho dos garimpeiros e para não entrar em conflito com as recomendações da OMT – Organização Mundial do Trabalho - que condenava a situação desses trabalhadores, resolveu fechar o garimpo o dando de volta a Vale do Rio Doce, sem no entanto reparar o que era devido a esses cidadãos.

O violento ato governamental praticado pelo governo de Collor de Mello produziu enormes seqüelas nesses milhares de trabalhadores, desorganizando suas vidas, desmantelando seus lares, comprometendo o futuro de seus filhos. O declínio social imposto pelo Estado brasileiro à família garimpeira claramente a colocou na extrema pobreza. O governo que tirou a Serra Pelada dos garimpeiros negou aos mesmos as condições básicas de subsistência. Muitos desses homens humilhados e com vergonha de retornar ao seio de suas famílias buscaram no suicídio a forma exata de resposta ao fracasso. Esse foi o holocausto a que foram submetidos o nosso sofrido povo garimpeiro de Serra Pelada.

Senhor Presidente Michel Temer, diante desses fatos, a AGASP BRASIL vem apelar a ajuda de Vossa Excelência no sentido de colocar em caráter de urgência o PL 5227 de 2009 o qual estabelece uma indenização humanitária negada até hoje a esses trabalhadores.

Acreditamos que esse será um gesto de justiça ao povo garimpeiro de Serra Pelada e aos mais de 1 milhão e 500 mil garimpeiros do Brasil, além de ser um ato que marcará, definitivamente, uma feição humanitária do Parlamento Brasileiro como legitimo órgão representativo do nosso povo.

quinta-feira, setembro 17, 2009

Garimpeiros comemoram cessão de direitos mineral à Coomigasp

Garimpeiros comemoram cessão de direitos mineral à Coomigasp

Os associados da Coomigasp de toda região Tocantina, realizaram na manhã dessa terça-feira 15, uma mega carreta que tomou conta das principais avenidas de Imperatriz. A concentração aconteceu no aeroporto Renato Moreira de imperatriz, onde os eufóricos garimpeiros aguardandaram o retorno do presidente da Coomigasp, Sr. Gessé Simão, de mais uma viagem a capital paraense, e do companheiro Toni Duarte. Após literalmente ter sido carregado nos braços pelos companheiros garimpeiros ainda no aeroporto Gessé saudou toda nação garimpeira garantindo que a vitória parcial era de toda a classe. Em seguida uma grandiosissima carreata acompanhada por milhares de garimpeiros seguiu até a Praça de Fátima, localizada no centro da cidade.
Toda essa comemoração aconteceu em virtude do recebimento da cessão de lavra concedido pelo DNPM – Departamento de Produção Mineral à Coomigasp no último dia 09 em Belém. “Agora acontecerá a entrega ao DNPM de Belém do EIA RIMA (Estudo de Impacto Ambiental), referente à área dos 100 hectares pertencentes à Coomigasp, que foi transferida para o próximo dia 21 segunda feira, como também do PAE- Plano de Aproveitamento Econômico e a licença Ambiental”, explica Gessé Simão. A Coomigasp em Parceria com a empresa Colossus Geologia e participações Ltda. Estarão habilitadas a explorar de fato a mina de Serra Pelada de forma mecanizada. Ainda segundo Gessé Simão Presidente da Coomigasp as possibilidades de implantação do projeto já somam 99% haja visto que os obstáculos maiores já foram superados, a aprovação do PAE e da Licença Ambiental são dois documentos que serão bem elaborados atendendo as normas municipais e estaduais, sendo assim não vejamos nenhum outro motivo que atrapalhe a viabilidade do projeto.
O grandioso evento parou a cidade de Imperatriz e mostrou para o mundo que o firme propósito e a esperança da realização de um sonho não tinha se esvaído ao longo desses quase 30 anos, a cidade que comporta hoje cerca de 10 mil associados, fez os mesmos e seus descendentes ouvirem atentamente os relatos de todo o processo de desfecho até a presente data pelas palavras de Gessé Simão e do presidente da AGASP Brasil, Sr. Tony Duarte, que esteve sempre firme lutando por essa nobre causa. “A AGASP Brasil se sente lisonjeada com a receptividade e a determinação do povo garimpeiro, é notório o esforço do garimpeiro em busca de seus ideais, manifestações como esta serve de combustível para continuarmos em busca da aposentadoria, temos a absoluta certeza de que em breve o garimpeiro já estará se usufruindo da aposentadoria e da pensão vitalícia”. Comenta Toni Duarte.
As caravanas oriundas de varias cidades do entorno de imperatriz e dos estados do Pará e Tocantins, após a concentração na Praça de Fátima seguiram em carreata para a Delegacia regional de Imperatriz onde lá puderam ouvi do presidente Gessé um minucioso relato das vitoriosas ações desencadeadas por Gessé e sua atuante diretoria. “Se hoje estamos comemorando esse importante passo rumo à implantação desse almejado projeto, é porque tenho me empenhado ao máximo nessa causa, agradeço a Deus a força que ele tem me dado e essa diretoria que tem ombreado comigo. Na próxima semana virá EIA RIMA, depois o PAE e a após as audiências publicas. Em fim implantaremos o projeto”, afirma o presidente. No final um grandioso churrasco que simboliza a prosperidade para a classe garimpeira, foi servido regado a muito refrigerante e alegria, “esse é um momento histórico pra mim, depois de anos de fome por justiça, hoje pude saborear essas importantes informações repassadas por nosso presidente. Agora é só festeja e comer”, comenta o garimpeiro José Ferreira de Imperatriz.
ASCON COOMIGASP

GARIMPEIROS DE IMPERATRIZ RECEPICIONARÃO HOJE LOBÃO

GARIMPEIROS DE IMPERATRIZ RECEPICIONARÃO HOJE LOBÃO

Um grande numero de garimpeiros estarão hoje, a partir das 16 horas, no Aeroporto de Imperatriz no Maranhão, para agradecerem ao ministro de Minas e Energia , Edison Lobão pela liberação da cessão dos direitos minerarios da Coomigasp feita pelo DNPM. Lobão irá a Imperatriz para participar da abertura da Feira da Industria e Comercio.

Na terça-feira passada cerca de cinco mil garimpeiros fizeram uma manifestação de agradecimento ao presidente da Coomigasp Gessé Simão e para a Agasp Brasil, elém do ministro Edison Lobão. Cerca de 50 faixas com palavras de agradecimentos foram colocadas na cidade. Os garimpeiros transformaram o ato em grande festa. O ministro Lobão receberá as lideranças garimpeiros que irão recepcioná-lo no aeroporto de Imperatriz. O ministro já garantiu que não tem nada que impeça que os garimpeiros de Serra Pelada receba das mãos dele o alvará de lavra. "Não deixo o Ministerio sem antes fazer justiça aos meus irmãos garimpeiros", disse Lobão.

quinta-feira, setembro 10, 2009

Serra Pelada tem exploração de ouro liberada

A cessão de direito mineral à Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada (Coomigasp), que vai permitir até o começo de março de 2010 a exploração de mais de 50 toneladas de ouro, foi finalmente assinada ontem, em Belém, na sede do 5º Distrito do Departamento Nacional da Produção Mineral (DNPM), Cerca de 200 garimpeiros, representando 45 mil filiados da cooperativa, estiveram no local para testemunhar aquilo que o presidente da Coomigasp, Gessé Simão, definiu como “momento histórico”. Os garimpeiros ameaçavam acampar na Explanada dos Ministérios com 10 mil homens, em Brasília, caso o documento não fosse assinado.

“Nós cumprimos com a nossa obrigação ao outorgar a cessão de direito à Coomigasp, como determina a legislação mineral”, declarou o chefe do DNPM no Pará, Every Aquino, sob os olhares atentos dos garimpeiros e seus líderes. Além de Aquino, assinaram o documento Gessé Simão e Heleno Costa, vice-presidente de Operações da mineradora canadense Colossus Mineralls, empresa responsável pelas pesquisas e detentora do direito de exploração mecanizada do ouro de Serra Pelada. Segundo Aquino, como técnico ele tinha de dizer que a Coomigasp cumpriu com todas as exigências ditadas pela lei. A certa altura de sua manifestação, o diretor convocou todos os delegados e representantes de entidades ligadas à causa garimpeira para que também assinassem o documento.

Simão disse que a etapa mais importante da retomada da lavra de ouro tinha sido vencida. “Não foi nada fácil, foi na base de muita luta e persistência dos garimpeiros. Eles nunca deixaram de acreditar que o sonho poderia virar realidade”, acrescentou o presidente da Coomigasp. Para ele, o ministro Edison Lobão, a governadora Ana Júlia e os representantes do DNPM tiveram papel importante na outorga da cessão de direito. Os problemas políticos que surgiram, dificultando o encaminhamento da solução em favor dos garimpeiros, na opinião de Simão, “foram superados pelo entendimento”.

REDENÇÃO

Para explorar as jazidas de ouro de alto teor que hoje se encontram a mais de 200 metros de profundidade, a Coomigasp teve de abandonar sua condição de cooperativa, até então improdutiva, para se transformar em uma empresa rentável com a finalidade de gerar emprego e renda para seus associados. A entidade e a Colossus criaram uma empresa chamada Serra Pelada Desenvolvimento Minerário, para administrar a produção do ouro e distribuição dos dividendos entre 40 mil garimpeiros. Quem investiu capital na pesquisa foi a Colossus.

O presidente da Associação Nacional dos Garimpeiros de Serra Pelada (Agasp-Brasil), Toni Duarte, vê na cessão do direito mineral à cooperativa a “redenção de milhares de trabalhadores que esperaram mais de 25 anos para ter a mina de volta”. Duarte prevê que a geração de emprego e renda em Serra Pelada levará para a região desenvolvimento econômico com distribuição de riqueza.

quarta-feira, setembro 09, 2009

GARIMPEIROS VENCEM MAIS UMA BATALHA

GARIMPEIROS VENCEM MAIS UMA BATALHA

O chefe do 5º Distrito do DNPM do Pará, Every Aquino, disse que o órgão se sercou de todos os cuidados para outorgar com toda segurança a cessão de direitos minerarios à Coomigasp. Segundo ele a preocupação do governo sempre foi outorgar esses direitos a uma comunidade totalmente pacificada , ápita e unida para levar em frente o empreendimento. “A cooperativa dos garimpeiros apresentou todas essas condições”, atestou Every. O representante do Governo do Estado do Pará, Roulando Noranha, afirmou que a entrega da cessão dos direitos minerarios da Coomigasp representa uma conquista histórica do povo garimpeiro, além de ser uma oportunidade para ajudar o Estado crescer na geração de emprego e renda para a população de Serra Pelada. Ele apontou que Ana Julia Carepa como senadora da Republica sempre esteve ao lado da causa garimpeira. “Agora, como governadora, ele vai garantir uma sólida parceria na área da saúde, da educação e na capacitação profissional para que esse pessoal tenha acesso ao mercado de trabalho”, disse o representante do governo. Neuton Paulino, Assessor de Articulação Política da Coomigasp, destacou a felicidade do povo garimpeiro de Serra Pelada com a outorga dos direitos minerarios da cooperativa. Ele afirmou que a determinação do ministro Lobão e da governadora Ana Julia Carepa foi fundamental para que isso ocorresse. “Tenho plena convicção que a classe política do Pará começa a entender da importância desse projeto em Serra Pelada que visa gerar o desenvolvimento econômico e social no Sul do Estado”, apontou. O líder garimpeiro e presidente da Agasp regional de Belém, jadiel de Jesus destacou que a paz e a alegria volta reinar absolutamente sob a Nação Garimepira. "O que se viu aqui foi o sonho se tornar em realidade”, disse jadiel.

Garimpeiros em Festa

Garimpeiros em Festa

Na presença de 200 representantes e dirigentes de entidades garimpeiras, foi assinado hoje, por volta das 11:45 minutos, no 5º Distrito do Departamento Nacional de Produção Mineral – DNPM em Belém do Pará, a cessão de direito mineral da Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada – Coomigasp.O documento foi assinado pelo chefe do 5º Distrito , Every Aquino e conta ainda com as assinaturas do presidente da Coomigasp, Gessé Simão de Melo e do vice-presidente de Operações da Colossus Mineralls, Heleno Costa. “É um momento de grande importância para o nosso povo de Serra Pelada”, destacou o presidente Gesse Simão ao agradecer o empenho do ministro de Minas Energia , Edison Lobão, da governadora Ana Julia Carepa e de todas as autoridades do DNPM representadas pelo Dr. Every Aquino. Gesse comemorou o fato da Coomigasp dar um passo importante saindo do simplório nível de uma cooperativa até então improdutiva para o patamar de um empresa rentável que vai gerar emprego e renda para os seus associados. “ Essa nossa missão só pode ser consolidada mediante ao apoio e a confiança da sociedade em torno da nossa gestão”, disse o presidente sob aplauso. O chefe do 5º Distrito Every Aquino reiterou mais uma vez de que o DNPM estava cumprindo com a sua obrigação ao outorgar a cessão de direitro mineral a Coomigasp conforme ordena a legislação mineral. “Como técnicos temos obrigação de falar que a Coomigasp cumpriu com todas as exigências ditadas pela lei”, explicou Every. Ele também pediu que todos os delegados e representantes de entidades ligadas a causa garimpeira subscrevesse o documento. “Esse gesto irá reforçar de que aqui não está somente uma diretoria, mas a força representativa da sociedade garimpeira”, disse o dirigente do DNPM. Daí por diante segui-se um serie de agradecimentos por parte dos lideres garimpeiros. Manifestações de representantes de entidades como a Agasp Brasil e da Freddigasp deram o tom da unidade do povo garimpeiro de Serra Pelada em torno de tão importante ato. Por fim o vice presidente da Colossus, Heleno Costa , fez questão de enaltecer a união dos garimpeiros em torno da implantação da mina de Serra Pelada e a confiança que os investidores da empresa canadense tem sobre o povo garimpeiro. “ Essa semente plantada a por Valder e tão bem regada com a determinação diária de Gesse Simão começa a dar frutos que serão igualmente divididos entre todos”, disse Heleno. Ele afirmou ainda que a parceria Coomigasp e Colossus já gera empregos para 181 pessoas da comunidade de Serra Pelada. “Com a implantação da mina vamos gerar muito mais empregos e transformar a comunidade de Serra Pelada numa comunidade digna e saudável”, garantiu Heleno.

por: Tony Duarte

GARIMPEIROS EM FESTA

Na presença de 200 representantes e dirigentes de entidades garimpeiras, foi assinado hoje, por volta das 11:45 minutos, no 5º Distrito do Departamento Nacional de Produção Mineral – DNPM em Belém do Pará, a cessão de direito mineral da Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada – Coomigasp.O documento foi assinado pelo chefe do 5º Distrito , Every Aquino e conta ainda com as assinaturas do presidente da Coomigasp, Gessé Simão de Melo e do vice-presidente de Operações da Colossus Mineralls, Heleno Costa. “É um momento de grande importância para o nosso povo de Serra Pelada”, destacou o presidente Gesse Simão ao agradecer o empenho do ministro de Minas Energia , Edison Lobão, da governadora Ana Julia Carepa e de todas as autoridades do DNPM representadas pelo Dr. Every Aquino. Gesse comemorou o fato da Coomigasp dar um passo importante saindo do simplório nível de uma cooperativa até então improdutiva para o patamar de um empresa rentável que vai gerar emprego e renda para os seus associados. “ Essa nossa missão só pode ser consolidada mediante ao apoio e a confiança da sociedade em torno da nossa gestão”, disse o presidente sob aplauso. O chefe do 5º Distrito Every Aquino reiterou mais uma vez de que o DNPM estava cumprindo com a sua obrigação ao outorgar a cessão de direitro mineral a Coomigasp conforme ordena a legislação mineral. “Como técnicos temos obrigação de falar que a Coomigasp cumpriu com todas as exigências ditadas pela lei”, explicou Every. Ele também pediu que todos os delegados e representantes de entidades ligadas a causa garimpeira subscrevesse o documento. “Esse gesto irá reforçar de que aqui não está somente uma diretoria, mas a força representativa da sociedade garimpeira”, disse o dirigente do DNPM. Daí por diante segui-se um serie de agradecimentos por parte dos lideres garimpeiros. Manifestações de representantes de entidades como a Agasp Brasil e da Freddigasp deram o tom da unidade do povo garimpeiro de Serra Pelada em torno de tão importante ato. Por fim o vice presidente da Colossus, Heleno Costa , fez questão de enaltecer a união dos garimpeiros em torno da implantação da mina de Serra Pelada e a confiança que os investidores da empresa canadense tem sobre o povo garimpeiro. “ Essa semente plantada a por Valder e tão bem regada com a determinação diária de Gesse Simão começa a dar frutos que serão igualmente divididos entre todos”, disse Heleno. Ele afirmou ainda que a parceria Coomigasp e Colossus já gera empregos para 181 pessoas da comunidade de Serra Pelada. “Com a implantação da mina vamos gerar muito mais empregos e transformar a comunidade de Serra Pelada numa comunidade digna e saudável”, garantiu Heleno.

terça-feira, setembro 08, 2009

domingo, setembro 06, 2009

DNPM expede alvará de exploração para a Coomigasp

DNPM expede alvará de exploração para a Coomigasp

Na manhã desta sexta-feira(04), o diretor geral do Departamento Nacional de Produção Mineral-DNPM, Miguel Cedraz despachou por sedex com destino a Belém, onde fica o 5° distrito do DNPM, a Cessão de direito mineral para ser assinado pelo chefe do distrito e posteriormente entregue a Coomigasp.

Centenas de garimpeiros residentes em Brasília e região do entorno, se concentraram frente à sede do DNPM em Brasília, todos ansiosos para o desfecho dessa situação que vêm se arrastando por décadas.

Segundo informações do órgão (DNPM), de ontem para cá, foi feito um esforço concentrado pela procuradoria jurídica para liberar o documento conforme prometido por Cedraz. Os garimpeiros de Serra Pelada agora estão mais tranqüilos e com a certeza que terão na próxima quarta-feira a assinatura da seção de direito mineral. “Foi uma situação muito difícil para que os garimpeiros conseguissem a rápida liberação do documento” comenta Cedraz.


Após se tornar o maior garimpo a céu aberto do mundo no inicio dos anos 80, fato este que proporcionou milhares de pessoas a se aventurar na selva amazônica, fazendo de poucos milionários da noite para o dia. Serra Pelada, foi palco de inúmeros conflitos, ora com o governo e a Vale (antiga detentora da área), ora entre os próprios garimpeiros.

Mais hoje Serra Pelada vive uma realidade alheia a todo o seu passado. Em parceria formada com a empresa Colossus Geologia e Participações Ltda. Desde 2007, a sociedade garimpeira está conscientizada de que para colher os frutos é necessário que haja um trabalho sério em cima de pesquisas para se saber o real potencial da mina e forma de como será explorada.

MINISTRO LOBÃO E GOVERNADORA ANA JULIA SAIRAM EM DEFESA DOS GARIMPEIROS

MINISTRO LOBÃO E GOVERNADORA ANA JULIA SAIRAM EM DEFESA DOS GARIMPEIROS

Ministro de Minas e Energia Edison Lobão disse que não haverá qualquer empecilho no mundo que possa atrapalhar o sonho dos garimpeiros de implantar o seu projeto de desenvolvimento da mina de Serra Pelada que visa melhorar a qualidade de vida de todos. A palavra de Lobão ressoou como um recado para que o Departamento Nacional de Produção Mineral – DNPM - agisse com rapidez na assinatura da cessão de direito mineral para a Coomigasp. Já na quinta-feira o diretor geral Miguel Cedraz Nery cancelou reuniões importantes para dar total prioridade na analise de todo o processo enviado no inicio da semana a Brasília pelo 5º Distrito do DNPM do Pará.

O esforço concentrado da Procuradoria Jurídica finalizou os trabalhos às 18 horas de quinta-feira para que o processo devidamente analisado fosse encaminhado via sedex de volta a Belém. Retornou com o sinal verde e as benção do ministro Lobão para ser entregue aos garimpeiros. O ministro afirmou que o MME não tem motivos para negar esse justo direito já que a Coomigasp cumpriu com todas as condicionantes exigidas pela legislação mineral, alem do que, é do interesse dos 43 mil associados da cooperativa. “Ao longo da historia de Serra Pelada eu e a governadora Ana Julia lutamos juntos dentro do Senado da Republica para ajudar os garimpeiros a realizar seus sonhos. Hoje como governadora do Estado do Pará e eu como ministro de Minas e Energia continuamos juntos para transformar de fato o sonho dos nossos amigos garimpeiros em realidade”, disse o ministro.

A posição do ministro Lobão e da governadora Ana Julia Carepa foi comemorada pelos garimpeiros de Serra Pelada pelo Brasil a fora. A ameaça de que a cooperativa não receberia a cessão do direito mineral pelo DNPM foi para o espaço e já é coisa do passado. “Esse fantasma está morto e sepultado, nem fede e nem cheira”, disse o presidente da Agasp Brasil, Toni Duarte. O presidente Gesse Simão já combinou com Every Aquino, chefe do 5º Distrito do DNPM. O ato de assinatura da cessão do direito mineral da cooperativa ocorrerá na próxima quarta-feira, dia 9, em Belém.

Várias lideranças do povo garimpeiro se farão presentes. Garimpeiros de Breu Branco, Paragominas, Xinguara, São Geraldo e da própria Serra Pelada também participarão do ato. A governadora Ana Julia determinou ao secretario da Casa Civil, Cláudio Puty, representar o Governo do Estado. Outras autoridades políticas do Pará farão parte da solenidade. O prefeito de Curionópolis, Wenderson Azevedo Chamom, que se entrincheirou em Belém juntos com as lideranças garimpeiras no DNPM, disse que a implantação da mina de Serra Pelada significa o marco do desenvolvimento econômico e social de seu município.

“É impossível não apoiar esse tipo de iniciativa”, apontou Chamonzinho. Ele afirmou ainda que a Coomigasp hoje é uma grande parceira do município de Curionópolis ao desenvolver ações sociais voltadas para as mais de 600 famílias que moram em Serra Pelada. “O presidente Gesse Simão tem feito tudo com muita responsabilidade e por isso tem a confiança dos garimpeiros e o reconhecimento das autoridades”, completou o prefeito. O vice-presidente da Colossus, Heleno Costa assegurou que logo depois da apresentação do Estudo de Impacto Ambiental previsto para ocorrer ainda este mês de setembro a empresa dará inicio aos cursos de capacitação profissional na preparação de mão de obra local. “Queremos que os garimpeiros trabalhem na mina”, disse Heleno.Essa iniciativa foi bem aceita pelos garimpeiros e em especial pela comunidade de Serra Pelada como também pelo governo do Pará.

sexta-feira, setembro 04, 2009

Empresária teria sido morta a mando do próprio marido

Empresária teria sido morta a mando do próprio marido

Pouco mais de quatro meses após o assassinato da empresária Silvia Reis, 33 anos, em Peixoto de Azevedo (200 km de Sinop), a Polícia Civil afirma ter chegado ao principal suspeito de arquitetar o crime. Trata-se do próprio marido de Silvia, Willian Cezar Gomes Pereira, que perante depoimento identificou-se como balconista. Ele foi preso ontem à tarde, por determinação judicial, após participar de uma audiência no fórum. Willian não esboçou reação porque já teria sido avisado pelo advogado.

O delegado Geraldo Gezoni Filho, que comanda as investigações, aponta que pesam contra o acusado fortes sinais de que teria mandado executar a própria mulher. "Os indícios são tão fortes que ele já foi indiciado pelo crime de homicídio qualificado”, declarou, ao Só Notícias. O delegado explica que as circunstâncias do assassinato e a reação do marido despertaram a atenção das autoridades policiais. A hipótese de latrocínio – roubo seguido de morte – foi descartada. Em seu lugar, classificado como execução sumária.

“As atitudes do Willian após o crime foram suspeitas. Ele foi uma das primeiras pessoas a chegar na cena do crime. Ao invés de socorrer a mulher foi para a casa de um amigo e presumiu que ela havia sido assassinada. No decorrer das investigações descobriu-se que ela fez um seguro de vida com ele sendo o contemplado de um alto prêmio”, considerou Geraldo Filho.

A Polícia Civil chegou a um segundo envolvido, identificado como Luiz Marques Ferreira Alves (Meio Quilo). Este seria o homem suspeito de atirar em Silvia, provocando a morte da vítima. Atualmente ele já está preso sob suspeita de envolvimento em um assassinato noutra cidade da região. “Luiz Marques é visto como um pistoleiro. Ele até chegou a oferecer o serviço para uma das pessoas ouvidas nos autos. A quebra de sigilo telefônico mostra ligações do Willian para o Luiz Marques. Às 9h07 a mulher ligou para Willian [avisando que teria chegado em casa] e depois há ligações do Willian para Luiz Marques”, esclarece o delegado.

Em depoimento na delegacia, Willian e Luiz Marques negam o crime. "Os dois negaram mas já se conheciam. O suspeito de ser o executor também era conhecido da vítima", finalizou Geraldo Filho.

A Polícia Civil trabalha na conclusão do inquérito. A expectativa é que em até duas semanas a peça seja encaminhada para o Poder Judiciário.

O crime
O fato ocorreu quando Silvia chegava em sua residência, localizada na rua Eurico Dutra, no bairro Alvorada. De acordo com a delegacia, ela foi atingida com pelo menos 6 tiros. Ela teria descido do carro para abrir o portão quando foi alvejada. A bolsa da vítima foi levada. Silvia era empresária, gerenciava o mercado da família, que tem outro em Matupá (206 Km de Sinop). Era casada e tinha filhos.

TUDO JÁ ESTÁ RESOLVIDO EM BRASÍLIA

O diretor geral do DNPM, Miguel Cedraz Nery, despachou por voltas das 9 horas de hoje por sedex o documento de seção de direito mineral da Coomigasp para o 5º Distrito do DNPM em Belém para ser assinado por Every Aquino. Cerca de 50 garimpeiros que se encontram concentrados dentro do DNPM de Brasília deixaram o prédio neste momento comemorando a determinação de Miguel Cedraz. O presidente da Coomigasp, Gesse Simão, acompanhado do presidente da Agasp Brasil , Toni Duarte, chegaram em Brasília por volta das 9 horas de hoje. A intenção dos dois líderes era de fazer apressar o passo da Procuradoria Jurídica no analise da documentação exigida pelo órgão do governo apresentado pela cooperativa. De ontem para cá, foi feito um esforço concentrado pela PROJUR para liberar o documento conforme prometido por Cedraz. Os garimpeiros de Serra Pelada agora estão mais tranqüilos e com a certeza de que terão na próxima quarta-feira a assinatura da seção de direito mineral. Foi uma situação muito difícil para que os garimpeiros conseguissem a rápida liberação do documento. As ingerências políticas praticadas pelo deputado Paulo Rocha chegou a ameaçar o sonho e a vontade dos milhares de garimpeiros de Serra Pelada. Mas a situação foi co0ntornada depois da reação de todos. Daqui a pouco daremos mais in formaçoes

quinta-feira, setembro 03, 2009

Serra Pelada tem 50 toneladas de ouro

O presidente da Cooperativa de Mineração dos Garimpeiros de Serra Pelada (Coomigasp), Jesse Simão, está otimista na concessão do alvará que vai permitir a exploração mecanizada do garimpo no começo de 2010. Há mais de 50 toneladas de ouro para ser exploradas quando o trabalho começar.

Também há outras 23 toneladas de minérios, incluindo ouro, na montoeira- onde está o rejeito de tudo o que foi produzido no garimpo quando a atividade ainda era manual. Para a exploração mecanizada no fundo da cava de 150 metros de profundidade, que será feita pela mineradora canadense Colossus, falta apenas o documento expedido pelo Departamento Nacional da Produção Mineral (DNPM).

“Fizemos tudo o que o DNPM pediu e apresentamos, juntamente com a Colossus, as pesquisas e os estudos, inclusive de impacto ambiental”, disse Simão ao DIÁRIO. O documento de que tanto dependem os garimpeiros para começar a exploração em Serra Pelada poderá ser liberado antes de outubro, segundo informou o DNPM. O líder dos garimpeiros fez questão de declarar que, em Serra Pelada, as disputas internas e as brigas são coisas do passado. “A Serra está em paz e mobilizada à espera da exploração pelas máquinas da Colossus”, resume o presidente.

Para chegar a esta situação, não foi fácil. Havia uma luta em que interesses pessoais se sobrepunham aos interesses da maioria dos 43 mil garimpeiros. O surgimento da Associação Nacional dos Garimpeiros de Serra Pelada (Agasp) no cenário do garimpo veio em boa hora. A entidade firmou parceria com a Coomigasp em torno da eleição de Simão, atraindo setores simpáticos à causa da mudança.

De acordo com o presidente da Agasp Brasil, Toni Duarte, o maior garimpo a céu aberto do mundo vive hoje novos dias. “Além de mobilizar os garimpeiros em torno da luta pela retomada da produção de ouro, passamos a atender suas famílias, realizando atendimentos médico e social no povoado de Serra Pelada”, conta Duarte. Ele ressalta que os opositores que criavam intrigas e

REAÇÃO GARIMPEIRA

REAÇÃO GARIMPEIRA

O final da tarde de ontem fechou pelo menos com um saldo positivo para os mais de 40 mil garimpeiros de Serra Pelada. As lideranças fincaram os pés dentro do 5º Distrito do DNPM do Pará e só saíram de lá com a palavra dada, mais uma vez, no viva voz do telefone, por Miguel Cedraz. Bastante explicativo e convincente o diretor geral do DNPM garantiu que a analise da documentação que vem sendo feita pela Procuradoria Jurídica do órgão encerraria amanhã , sexta-feira. Disse ainda que mandaria amanhã mesmo no período da tarde a papelada via sedex para o 5º distrito do DNPM . Como a próxima segunda-feira é feriado a entrega do relatório de pesquisa e o recebimento da sessão do direito mineral ocorrerá na terça-feira, dia 9. Cedraz fez questão de enfatizar que não tem como não entregar a sessão do direito mineral da Coomigasp. Tudo está devidamente instruído no processo.

O que disse Miguel Cedraz é uma verdade. Não tem mesmo como o DNPM não cumprir com a sua obrigação de entregar esse importante documento a cooperativa. O problema de alguns “teóricos professores”do DNPM é que nunca imaginavam que os mais de 40 mil garimpeiros de Serra Pelada pudessem, um dia, se organizar e cumprir com tudo que foi exigido. Acharam que os garimpeiros ainda são uns bandos de pessoas desorganizadas incapazes de se unir e de pensar. Quebraram a cara.

Os dirigentes da Coomigasp e das Entidades como Agasp Brasil, Freddgasp e Abasp mostraram que não existe, dentro ou fora de Serra Pelada, um único garimpeiro que não queira a implantação definitiva do projeto de desenvolvimento mineral da mina. Esses últimos dias de sofrimento provocado pelas artimanhas ocultas contraria ao querer da garimpeirada que se arrastam desde o ultimo 31 de agosto, data prevista para a entrega do relatório de pesquisa e em troca da sessão do direito mineral, ocorreu de tudo dentro e fora do órgão responsável pela boa aplicação da legislação mineral.

O deputado Paulo Rocha do Pará foi o principal pivô dessa orquestração. Chegou a propor ao DNPM que não entregasse nada a Coomigasp. Alegou que o CNPJ da cooperativa era falso indo mais uma vez atrás da conversa fiada de Raimundo Maligno e do estelionatário Luiz da Mata. Ou Paulo Rocha está desinformado ou age de má fé. Para nós da Agasp Brasil tem mais má fé na atitude do deputado paraense do que falta de informação.

Basta entrar no site da Receita Federal para verificar a autenticidade do CNPJ nº. 05.023.221/0001-07. Alegou que se desse a sessão do direito mineral para a cooperativa haveria um “terrível banho de sangue” em Serra Pelada. A triste asneira de Paulo Rocha nos remete acreditar que ele literalmente não conhece o povo da Serra e muito menos os garimpeiros. Nunca houve em toda a historia de Serra Pelada esse tal “banho de sangue” entre os garimpeiros.

Se não houve no passado, muito menos agora no presente. Lamentamos profundamente que o deputado continue comparando os garimpeiros como um bando de desordeiros, desocupados e assassinos capazes de se engalfinharem e se matarem coletivamente. As 17 mil famílias de garimpeiros que moram no Pará discordam da tresloucada e sombria opinião de Paulo Rocha. Ninguém entende qual é a do deputado.Quer dar uma de bom e correto moço. Logo ele que é indiciado e processado pelo Supremo Tribunal Federal por seu envolvimento no escândalo do mensalão. Lastimamos que o deputado continue na contramão da vontade do povo garimpeiro e das ambas vontades da governadora Ana Julia Carepa e do Presidente Lula.

Fomos taxativos ao DNPM: não aceitamos qualquer tipo de protelação naquilo que é de direito da Coomigasp. Ontem, no final da noite, tomamos a decisão de sair de Belém e seguir para Brasília. A garimpeirada de Brasília e região já está mobilizada para amanhã. Vai se concentrar na porta do DNPM de Miguel Cedraz. Vamos está em vigília e ao mesmo tempo pressionar para que a Procuradoria Jurídica caminhe em passos rápidos porque a garimpeirada tem pressa. Temos a plena convicção que seremos vitoriosos. Salve o povo garimpeiro!

quarta-feira, setembro 02, 2009

Líder de sem terra está marcada para morrer

Líder de sem terra está marcada para morrer

A Fazenda Araúna, localizada no município de Novo Mundo, distante 56 km de Guarantã do Norte, está se tornando num palco de conflito armado. Recentemente, os capangas encapuzados da propriedade rural destruíram mais de 30 barracos de lona, colocou fogo nas roupas, alimentos, espancaram e deram vários tiros contra trabalhadores rurais sem-terra. Eles, (capangas) naquela noite, queriam a líder dos sem terra. Mas, ela não estava no acampamento, tinha saído do local, horas antes do acontecido. “A minha vida foi salva por um milagre. Se eles me pegassem eu não sei o que teria acontecido” desabafou Joelma Soares líder dos sem-terra.

Após o acontecido, a juíza Leilamar Rodrigues, da Comarca de Guarantã do Norte, expediu mandado de busca e apreensão na Fazenda Araúna, a pedido do Ministério Publico. O mandado foi cumprido pelas policias civil e militar da cidade, que teve o acompanhamento dos fiscais do IBAMA e SEMA. Na ocasião, foi apreendida uma espingarda, abandonada na hora da fuga dos capangas que faziam a guarnição da porteira de entrada da fazenda. “Tivemos que quebrar o cadeado para ter acesso às dependências da propriedade para cumprirmos o mandado” salientou Drº Carlos, delegado da Policia Civil de Guarantã do Norte.

“Eu estou marcada para morrer” essa frase, foi proferida pela líder dos trabalhadores rurais sem-terra Joelma Soares, ao procurar a nossa reportagem para denunciar as ameaças de morte, que está sofrendo no acampamento. “Estamos acampados ás margens da Fazenda Araúna, há mais de 03 anos e sempre sofremos fortes ameaças. Os capangas esperaram só a policia sair do local, para voltar para a porteira, empunhando suas armas” denunciou Joelma Soares.

O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária - INCRA destinou a área de 16 mil hectares para fins de reforma agrária em 2004, e de lá para cá, a luta de sem terra e posseiros, tem sido constante pela terra. O superintendente regional do INCRA], William Sampaio, já manifestou interesse de fazer uma vistoria na área de conflito, o que deve acontecer ainda este mês de setembro. “Estamos aguardando uma decisão do INCRA, pois essa área é da União, é nossa, do povo brasileiro” ponderou Joelma Soares.

A Policia Federal, segundo a líder dos trabalhadores rurais sem terra, já foi informada da existência do conflito armado na localidade, inclusive sobre a expulsão dos sem terra do acampamento Nova Esperança. “Onde estão os nossos direitos de cidadãos. Fomos expulsos a bala, e a Policia Federal, ainda não se manifestou. Temos direito a segurança, como todo e qualquer cidadão brasileiro. Precisamos que a Policia Federal, faça o desarmamento dos capangas dos fazendeiros. Ou será que os direitos é só para eles (fazendeiros) concluiu Joelma Soares.

Cerca de seis homens, permanecem na porteira da Fazenda Araúna, fortemente armados, e todas as noites, disparam tiros próximo ao acampamento dos trabalhadores rurais sem terra. A nossa reportagem, manteve vários contatos, com o proprietário da Fazenda Araúna, Marcelo Bassan, a fim de ouvir a versão das acusações, mas não obtivemos êxito.

DNPM RESOLVEU DAR SESSÃO DE DIREITO MINERAL PARA A COOMIGASP

Lideres garimpeiros ligados a Agasp Brasil e Coomigasp continuam de plantão dentro do 5º Distrito do DNPM em Belém do Pará a espera do OK da sessão do direito mineral para a cooperativa a ser assinada pelo diretor geral do Departamento Nacional de Produção Mineral, Miguel Cedraz Nery. Hoje, no inicio da tarde, Miguel Cedraz voltou a garantir às lideranças garimpeiras que o órgão do governo vai acatar o documento instruído e aprovado pelo 5º Distrito do DNPM do Pará. “A nossa decisão é a de assinar o documento passando todos os direitos minerais que a Coomigasp tem sobre a mina de Serra Pelada”, disse Cedraz por telefone ao presidente da cooperativa, Gesse Simão de Melo. Agora, pela tarde, a chefe da Procuradoria do DNPM, Ana Salett Marques Gulli e o procurador jurídico Frederico Munia Machado estão fazendo o análise do processo para saber se as condicionantes exigida pelo órgão foram cumpridas pela cooperativa. O diretor geral do DNPM anunciou para o final dessa tarde resolver toda a questão. Vamos esperar.

REPÚDIO

Hoje pela manhã as entidades de Serra Pelada foram surpreendidas com o propósito do deputado federal Paulo Rocha (PT-PA) de tentar “melar” o desejo de milhares de garimpeiros que lutam há mais de 25 anos para ter a mina de Serra Pelada produzindo novamente. O gesto maluco e inconseqüente de Paulo Rocha fez com que as entidades como Agasp Brasil, Freddigasp , Abasp e a própria Coomigasp repudiassem a ação danosa do deputado paraense. " Não vamos permitir que qualquer entrave politico acabe com o sonho do nosso povo garimpeiro", disse Toni Duarte dentro do DNPM do Pará. Cerca de 17 mil famílias garimpeiras que moram no Estado não concordaram com a atitude de Paulo Rocha que quer ser senador na proxima eleição. O prefeito Chamon de Curionópolis também reagiu contra o parlamentar . É lamentavel que um deputado queira impedir que o nosso município de Curionopolis cresça e desenvolva com a implantação do projeto mineral da Coomigasp", disse .

A Agasp Brasil garante a todos os garimpeiros que fiquem tranquilos porque seremos todos vencedores.Daqui a pouco estaremos dando mais informações. AGUARDEM!!!


POSTADO POR TONI DUARTE ÁS 16:21
f

terça-feira, setembro 01, 2009

FALTA APENAS UMA ASSINATURA

FALTA APENAS UMA ASSINATURA

Foi prorrogado para amanhã, quarta-feira, 2, a entrega oficial do relatório das pesquisas feitas na área dos 100 hectares da Coomigasp ao 5º Distrito do DNPM em Belém do Pará. O ato que seria realizado ontem, 31, conforme data estabelecida pela cooperativa não ocorreu em detrimento da falta da importante assinatura do diretor-geral do Departamento Nacional de Produção Mineral, Miguel Cedraz Nery, ao documento protocolar. Por causa disso o chefe do 5º DNPM, Every Aquino viajou ontem à tarde a Brasília com missão de colher a assinatura do diretor geral. Aquino retorna para Belém hoje a noite.

A entrega do relatório das pesquisas ao DNPM encheu de expectativa aos mais de 40 mil garimpeiros sócios da Coomigasp. A sociedade de forma unânime apóia o presidente Gésse Simão e espera ansiosamente pela implantação da mina que inicia no final do mês de setembro. Cerca de 300 garimpeiros que moram na capital paraense e nas cidades vizinhas permanecem concentrados em Belém para acompanhar de perto um dos mais importantes atos da causa garimpeira de Serra Pelada que é a entrega das pesquisas.

O diretor geral do DNPM, Miguel Cedraz, garantiu que todos os direitos que a Coomigasp tem será dado a ela. Cedraz foi além disso ao afirmar que cooperativa atendeu todas as exigências cobradas pelo órgão e, que, por tanto, não haveria nenhum entrave técnico ou mesmo aqueles de ordem político que impeça a cooperativa de ter o seu alvará de lavra. Apesar dessas garantias feita por Miguel Cedraz a simples falta de sua assinatura no documento deixou a sociedade um tanto espinhada. Porem a situação foi explicada e os sentimentos da massa garimpeira aliviados.

Nunca foi fácil para os garimpeiros de Serra Pelada reconquistar a mina desde a época em que o garimpo foi fechado. Em 1992 o governo foi alem de insensível. Foi insano. Empurrou para o fundo da vala sem dó e nem pena milhares de cidadãos que ajudaram abarrotar o Tesouro Nacional com o ouro retirado da Serra Pelada. No final do garimpo apenas o Governo e meia-dúzia de pessoas, bamburraram através do esforço gigante de 80 mil trabalhadores.

Nesse período de 17 anos de fechamento do garimpo foi uma caminhada de sofrimento e dor. As matanças, a mentira, o engodo sempre foram ingredientes que permearam a luta garimpeira. Porem, o pior deles, foi à perversa indiferença do Governo a uma situação provocada pela própria União. Ate na hora de entregar um documento de grande importância para os garimpeiros de Serra Pelada falta uma assinatura. Mas a convicção do povo garimpeiro é de que tudo será resolvido nesta ultimas 24 horas.Tanto é que Every Aquino, chefe do 5º DNPM, tranqüilizou as lideranças e brincou: “quando tudo isso terminar vamos precisar tomar muita maracujina”. Esperamos, Dr. Every. Caso contrario 40 mil coraçoes poderão explodir de inevitável revolta.